Quem sou eu

Minha foto
Estudante de jornalismo, apaixonado por séries de tv, filmes e livros, além de cultura, música e coisas viajadas. É basicamente isso que vai ter por aqui.

sábado, 20 de março de 2010

What makes me better

Setembro de 2001

Lembro-me como se fosse hoje. Eu, 10 anos vividos, mergulhava cabeça abaixo em um rio na fazenda do meu tio, onde costumava passar férias. Ao cair da noite, voltando para casa, meu primo me perguntou: "Você já ouviu falar em Harry Potter?" Respondi que não. Aquele tal de "Réri Poti" era, até então, um completo estranho para mim. Prometi a ele que procuraria algo sobre depois. Nem precisei ir longe. No dia seguinte, ele próprio me emprestou "Pedra Filosofal", o primeiro livro dos três até então lançados. Não coloquei fé alguma em uma estória de bruxos. Contudo, resolvi ler e depois devolver dizendo: "Está vendo, é ruim."

O que aconteceu foi que dois dias depois eu devolvia Pedra Filosofal e já pedia emprestado o seguinte. Em um primeiro momento, o livro não me fez o fã que sou hoje, mas achei a trama absurdamente interessante e viciante. Li Câmara Secreta rapidamente. Comprei Prisioneiro de Askaban e logo estava ávido por saber como aquela trama continuaria. E então a torturante (e que me seguiria por anos) espera tinha início. Dezembro daquele ano chegou e meu presente de natal não poderia ter sido melhor. Lembro ainda hoje do calor que senti ao ter em minhas mãos "Harry Potter e o Cálice de Fogo." O número de páginas não me assustou. Na verdade, por quanto mais eu tivesse Harry, melhor.

Terminei o livro com o coração na mão por não saber quando o 5° volume seria lançado. Eu não conhecia internet ainda, portanto fiquei no total escuro. Lia e relia todos os 4 livros novamente. Os 2 primeiros filmes não demoraram a sair. Assisti e achei incrivelmente mágico tudo aquilo que eu já conhecia representado em imagens. Em 2003, Ordem da Fênix chegava às livrarias. E foi então que, pela primeira vez, eu senti o quanto aquilo tudo significava para mim. Devorei aquelas 702 páginas em menos de uma semana e nunca havia me sentido tão apreensivo lendo um livro. Quando Sirius Black morreu, chorei demais. E foi depois dessas lágrimas que eu notei que Harry para mim já era bem mais que um livro qualquer.

2004. Prisioneiro de Askaban chegou aos cinemas. A quantidade de fãs já aumentava exponencialmente. Eu estava sempre ligado atrás de notícias dos dois livros restantes. Jamais me esqueci dos diversos boatos de que os nomes seriam "O Manual das Trevas" e "A Flama Verde." Em 2005, "O Enigma do Príncipe" veio. E se Ordem da Fênix tinha explodido minha cabeça, Enigma simplesmente a incenerou. Tinha eu 14 anos e já conseguia compreender que aquilo era muito mais do que simples palavras. Ao término do último capítulo do livro, meus olhos estavam vermelhos, já que eu chorava desde o momento da morte de Dumbledore. Li e reli. Não conseguia acreditar. Para meu consolo, dias depois eu assistia Harry Potter e o Cálice de Fogo. E, como era esperado, chorei mais uma vez. A morte de Cedrico (com a qual eu não tinha me importado no livro) em conjunto com o discurso final de Dumbledore foram suficientes para derrubar meu ânimo.

2006 passou tão rápido e eu mais uma vez relendo os livros, esperando. Dessa vez, porém, a espera era diferente. Eu sabia que o inevitável e doloroso final estava próximo. E, mesmo assim, eu estava louco para ter todas as minhas perguntas respondidas. Para saber como aquela épica jornada chegaria ao fim. Quando 2007 chegou, minha expectativa estava nas alturas para o último livro e o quinto filme. Ordem da Fênix veio primeiro e eu me recuso a comentar sobre o filme aqui. Deathy Hallows foi lançado dia 15/07 e os spoilers tomaram conta de cada canto da internet. Desviei-me de todos e em novembro eu devorava Relíquias da Morte.

Nunca havia chorado tanto em um livro como chorei em RdM. Não sei se por ser o último ou por outro motivo. Sei que cada palavra, cada morte, cada horcrux, cada batalha... Aquilo mexeu comiga de uma forma sobrenatural. Forma essa que somente quem leu e sentiu tudo isso pode entender. Vai além de livros ou filmes. Vai além de uma guerra de bruxos. Vai além do bem, do mal. Me deu conhecimento. Me ensinou lições preciosas. Me deu os melhores amigos do mundo. Me ensinou que os heróis também podem sangrar. Cresci junto com Harry, Ron, Hermione e com cada personagem presente ao longo dos 7 livros. Remus, Sirius, Fred, George, Snape...
 
19/11/2010 marcará, novamente, o início do fim. Com a chegada da Parte I do último filme, nossos corações vão se preparando, novamente, para o doloroso adeus. Afinal, por mais que digam que a espera é dolorosa, nós sabemos que ela é "mil vezes melhor que a certeza do final".

É mais do que uma simples saga. É amor. É amizade. É confiança. É lealdade. É a melhor parte de mim. É Harry Potter.

7 comentários:

giu disse...

É... Harry certamente mudou a vida de todos nós. Ele me trouxe você e isso é priceless <3 Texto incrível. Amooooo você, vida! :)

Natie disse...

É tão estranho olhar de uma forma cronológica o quanto HP mudou nossas vidas e o quanto crescemos com ele Ç_Ç É um saudosismo bom, mas angustiante.
Adorei o texto, Alê.

Matheus disse...

Hp mudou a vida de todo mundo. Além de ter mostrado um caminho de onde a maior parte dos meus 'truly friends' surgiram, é uma saga incrível e que, de fato, vai deixar um buraco em todo mundo quando acabar definitivamente. ._. E, realmente, é até triste ver de forma cronólogica como HP foi importante. And, after all, o texto foi ótimo.

Gui Spiralling disse...

Além de ter devorado os 6 livros em 3 semanas, posso dizer que mudou a minha vida também. Se não fosse por ela eu não teria 60% dos amigos que tenho, amizades que nunca vou esquecer. Se um dia eu odiei, hoje eu adoro. :]

Má Midlej disse...

aaaah lembrei de mim! eu com meus 8 anos e minha mania de brincar de feiticeira, ganhei um livro chato de natal. HUNF, mais um! *-* E era o harry, meu melhor amigo dos anos seguintes, o rony minha eterna paixão e a mione, meu espelho.

viro bicho quando falam dele comigo hahahaha
amei :)

Alexandre disse...

Obrigado, gente. Vocês são lindos. <3

Luís disse...

adoreiiiiii, muito verdade mesmo

nossa, nossa, to arrepiado!